Fale conosco

Nome *

Telefone

Empresa

E-mail *

Área *

Mensagem *

Repita o código de segurança ao lado *

captcha

Search
1
33.5
18.75
Atlanta, EUA

Sede (Corporativo):

GranAPI LLC
255 Lenox Rd, NE#750,
Atlanta, GA 30326, USA

 

Biorefinarias:

Unidade Thomaston
300 McIntosh Parkway
Thomaston, GA 30286, USA

Unidade Alpena
412 Ford Avenue
Alpena, MI 19707, USA

1
74.75
30.75
São Paulo, Brasil

Sede

GranBio Investimentos S.A.
Av. Brig. Faria Lima, 2277, 15º andar, Conjunto 1503, Jd. Paulistano,
São Paulo, SP, CEP 01452-000, São Paulo, SP
+55 11 2739-0500

1
65.75
32.375
Alagoas, Brasil

Planta Industrial

BioFlex Agroindustrial.
Faz. São João, s/n – Zona Rural
57.249-899 – São Miguel dos Campos – AL – Caixa postal 14

Estação Experimental

Biovertis Produção Agrícola Ltda.
Fazenda Andorinha, Rod. AL 220 s/n, KM 6,5,
São Miguel dos Campos, Zona Rural, AL, CEP 57180-000

Telefones

Sede

+55 11 2739.0500

 

13 de setembro de 2019

Bilionário polonês lança projeto verde para combater a poluição atmosférica

Por GranBio

A Polônia é o país com a maior economia do Leste Europeu. Desde a queda do Bloco Soviético, em 1991, sua economia se desenvolve a um nível anual médio de 4%. No entanto, o “milagre polonês” tem um custo alto para o meio-ambiente: 36 das 50 cidades mais poluídas da Europa Oriental estão na Polônia - algumas destas cidades chegam a superar Pequim ou Nova Déli nos níveis de poluição atmosférica. Zygmunt Solorz, um bilionário empresário polonês de 63 anos, decidiu fazer algo para enfrentar o problema: criar uma associação chamada Programa Polônia Limpa.


A poluição do ar é um problema nacional na Polônia.
Crédito: piviso.com

De acordo com Solorz, o objetivo do Programa é incentivar os poloneses a se preocuparem mais com a qualidade do ar. O empresário vive nos arredores de Varsóvia e, segundo seu porta-voz Tomasz Matwiejczuk, “enfrenta a própria poluição todos os dias.”

Solorz é um dos homens mais ricos da Polônia e controla a concessionária de energia ZE PAK, onde os depósitos de lignito estão se esgotando. Ele garante que suas empresas passaram a reduzir a pegada de carbono substituindo o lignito por combustível de biomassa e outras fontes de energia limpa, como energia solar, e fazendo  a transição para carros elétricos. A fumaça resultante do lignito queimado é mais carregada de CO2 do que o petróleo bruto ou outros tipos de carvão.

Mais de 80% da energia da Polônia é gerada pela queima de carvão. As calefações nos lares poloneses são, em muitos casos, alimentadas por carvão de baixa qualidade ou até restos de lixo - causas das emissões mais tóxicas na atmosfera.

Em abril de 2018, o primeiro-ministro polonês Mateusz Morawiecki divulgou que a qualidade do ar passaria a ser prioridade do Governo polonês. Morawiecki antecipou um plano para renovar os sistemas de calefação das residências de todo o país e adotar outras medidas contra a poluição atmosférica - para isso, o Governo calcula um investimento de mais de 7 bilhões de Euros até 2028.

A estratégia de Solorz no combate à poluição atmosférica envolve outras áreas de seus negócios, além da Energia. O empresário pretende usar a sua  plataforma de Mídia e Telecomunicações Cyfrowy Polsa para promover o Programa Polônia Limpa. Os recursos investidos pelo empresário no combate à poluição serão anunciados quando a associação Programa Polônia Limpa for registrada no tribunal.

A concentração de CO2 aumenta durante o frio, que na Polônia pode durar mais de seis meses. Em 2016, a poluição foi responsável pela morte prematura de 19 mil pessoas no País, transformando-se em um dos principais problemas nacionais. Estima-se que 48 mil poloneses morrem todos os anos por doenças relacionadas à poluição do ar.

As principais vítimas de doenças relacionadas à poluição são crianças e idosos. "Sou pai e avô. Quero dar às minhas netas a chance de viver em um mundo que não é apenas moderno, mas também limpo”, disse Solorz em comunicado.

Zygmunt Solorz passa a integrar o rol de bilionários envolvidos com questões ambientais, ao lado de Bill Gates (cofundador da Microsoft) e Jeff Bezos (dono da Amazon.)

 Fonte: UOL Economia

→ Os temas publicados neste blog são de curadoria do presidente e CEO da GranBio, Bernardo Gradin.