Fale conosco

Nome *

Telefone

Empresa

E-mail *

Área *

Mensagem *

Repita o código de segurança ao lado *

captcha

Search
1
33.5
18.75
Atlanta, EUA

Sede (Corporativo):

GranAPI LLC
255 Lenox Rd, NE#750,
Atlanta, GA 30326, USA

 

Biorefinarias:

Unidade Thomaston
300 McIntosh Parkway
Thomaston, GA 30286, USA

Unidade Alpena
412 Ford Avenue
Alpena, MI 19707, USA

1
74.75
30.75
São Paulo, Brasil

Sede

GranBio Investimentos S.A.
Av. Brig. Faria Lima, 2277, 15º andar, Conjunto 1503, Jd. Paulistano,
São Paulo, SP, CEP 01452-000, São Paulo, SP
+55 11 2739-0500

1
65.75
32.375
Alagoas, Brasil

Planta Industrial

BioFlex Agroindustrial.
Faz. São João, s/n – Zona Rural
57.249-899 – São Miguel dos Campos – AL – Caixa postal 14

Estação Experimental

Biovertis Produção Agrícola Ltda.
Fazenda Andorinha, Rod. AL 220 s/n, KM 6,5,
São Miguel dos Campos, Zona Rural, AL, CEP 57180-000

Telefones

Sede

+55 11 2739.0500

 

24 de setembro de 2019

Conheça o vilarejo que se tornou sustentável com a produção de energia 100% limpa

Por GranBio

Imagine um espaço urbano em que 100% das fontes de energia são limpas – e que foram implementadas por meio de uma ação entre a comunidade local e uma empresa de energia renovável. Este lugar existe, fica na Alemanha e é chamado de “O Milagre energético de Feldheim.”

Feldheim é um vilarejo alemão que se mantém em pleno funcionamento com a produção de energia sustentável. O pequeno vilarejo, onde vivem 130 pessoas, produz energia a partir de fontes limpas, principalmente sol, vento e biomassa.

Localizado a 60 Km de Berlim, Feldheim é considerado um vilarejo tranquilo e sem apelo turístico. No entanto, há anos o lugar tornou-se modelo de autossuficiência em produção de energia limpa – o que atrai passeios turísticos pelas instalações de energia, bem como estudantes e pesquisadores ao vilarejo.

Em 1995, Michael Raschemann, um então estudante de Engenharia, viu na fazenda da cooperativa agrícola do vilarejo um lugar ideal para a instalação de quatro turbinas eólicas: solo plano e muito vento na região.

O pequeno parque eólico se expandiu de forma gradual por meio da parceria com a Energiequelle, empresa de energia renovável cofundada por Raschemann. Hoje são mais de 50 turbinas produzindo mais energia do que o vilarejo necessita – o excedente é vendido ao mercado de energia e estocado em uma Unidade de Armazenamento, onde foram instaladas baterias para armazenar energia eólica.

Feldheim possui atualmente mais de 50 turbinas em seu parque eólico, que geram mais energia do que o vilarejo necessita. Crédito: commons.wikimedia.org

Anos mais tarde, após o sucesso obtido com a expansão do parque eólico, a cooperativa agrícola de Feldheim decidiu investir na produção de biogás. A ideia era gerar aquecimento para os estábulos, mas os moradores do vilarejo desejavam depender cada vez menos das grandes companhias de energia elétrica - e foi assim que, em 2008, Feldheim passou a contar também com energia gerada a partir de biomassa.

Milho e outros cereais misturados a esterco de animais são transformados em gás metano, que gera energia e aquecimento para os lares do vilarejo. O que sobra desta produção é reutilizado no campo, fechando um ciclo sustentável de produção de energia.

Uma década depois da instalação das primeiras turbinas eólicas, a Energiequelle ampliou o portfólio de energia limpa ao construir uma fazenda solar no vilarejo, responsável por gerar energia suficiente para 600 casas. O vilarejo passou a contar com três fontes de energia limpa: eólica, biomassa e solar.

Feldheim passou a ser oficialmente considerado um vilarejo mantido com energia limpa em 2010, ano em que sua rede autônoma de energia e aquecimento foi ligada. A rede foi construída pela Energiequelle, subsidiada pela União Europeia e com a contribuição de 3 mil euros de cada habitante do vilarejo.

Além de sustentável, o vilarejo aumentou a geração de empregos no setor de bioenergia e virou notícia no mundo inteiro ao se tornar referência para a implementação do modelo em outros lugares da Europa. 

Em janeiro de 2019, o governo alemão anunciou o plano de abandonar o uso do carvão como fonte de energia até 2038. A estratégia faz parte da transição para o uso de fontes renováveis em todo o País – em 2018, o uso de bioenergia superou pela primeira vez o uso do carvão como fonte energética na Alemanha, chegando a 40% da matriz energética.

Fonte: DW Brasil

→ Os temas publicados neste blog são de curadoria do presidente e CEO da GranBio, Bernardo Gradin.