Fale conosco

Nome *

Telefone

Empresa

E-mail *

Área *

Mensagem *

Repita o código de segurança ao lado *

captcha

Search
1
33.5
18.75
Atlanta, EUA

Sede (Corporativo):

GranAPI LLC
255 Lenox Rd, NE#750,
Atlanta, GA 30326, USA

 

Biorefinarias:

Unidade Thomaston
300 McIntosh Parkway
Thomaston, GA 30286, USA

Unidade Alpena
412 Ford Avenue
Alpena, MI 19707, USA

1
74.75
30.75
São Paulo, Brasil

Sede

GranBio Investimentos S.A.
Av. Brig. Faria Lima, 2277, 15º andar, Conjunto 1503, Jd. Paulistano,
São Paulo, SP, CEP 01452-000, São Paulo, SP
+55 11 2739-0500

1
65.75
32.375
Alagoas, Brasil

Planta Industrial

BioFlex Agroindustrial.
Faz. São João, s/n – Zona Rural
57.249-899 – São Miguel dos Campos – AL – Caixa postal 14

Estação Experimental

Biovertis Produção Agrícola Ltda.
Fazenda Andorinha, Rod. AL 220 s/n, KM 6,5,
São Miguel dos Campos, Zona Rural, AL, CEP 57180-000

Telefones

Sede

+55 11 2739.0500

 

1 de julho de 2019

Torres geram energia eólica sem o uso de pás

Por GranBio

A startup espanhola Vortex Bladeless desenvolveu turbinas de energia eólica que não usam hélices ou pás. Parecem cilindros fincados no solo. O equipamento ocupa menos espaço, evita acidentes com pássaros e também tem menor custo do que as turbinas tradicionais, afirmam os fabricantes.

Para gerar energia, as turbinas Vortex aproveitam um efeito aerodinâmico chamado vorticidade, que é o movimento giratório do ar ou fluidos. Quando o vento passa pela estrutura, ele desce por um lado do cilindro, formando uma espécie de redemoinho ou vórtice. Esse turbilhão de vento faz com que a torre vibre. A energia cinética da oscilação do cilindro é convertida em eletricidade por geradores.

As turbinas de energia eólica são mais silenciosas e discretas

Os criadores dessas turbinas tiveram a ideia de aproveitar esses ventos a partir de um problema que ocorreu com uma antiga ponte, chamada Tacoma Narrow Bridge, que desabou porque não aguentou a vibração provocada por turbilhões de vento. É um desafio de construção para arquitetos e engenheiros, mas que no caso dessas turbinas, representa uma solução.

Segundo a empresa, a torre economiza em manutenção, já que não tem partes separadas, como pás. Um sistema de ímãs elimina fricções entre as peças e, portanto, não provoca desgastes ou demanda por lubrificantes.

Como não tem pás, reduz a morte de aves e pássaros, que costumam se chocar com as enormes hélices das turbinas comuns. Também é mais silenciosa, garantem. E, em termos visuais, é mais discreta.

A empresa está desenvolvendo dois tipos de torres: uma versão mini, de 4 kW (quilowatts) de potência, que pode ser usada para casas, e outra com 100 kW.

Crédito da imagem: Picasa
→ Os temas publicados neste blog são de curadoria do presidente e CEO da GranBio, Bernardo Gradin.