Fale conosco

Nome *

Telefone

Empresa

E-mail *

Área *

Mensagem *

Repita o código de segurança ao lado *

captcha

Search
1
33.5
18.75
Atlanta, EUA

Sede (Corporativo):

GranAPI LLC
255 Lenox Rd, NE#750,
Atlanta, GA 30326, USA

 

Biorefinarias:

Unidade Thomaston
300 McIntosh Parkway
Thomaston, GA 30286, USA

Unidade Alpena
412 Ford Avenue
Alpena, MI 19707, USA

1
74.75
30.75
São Paulo, Brasil

Sede

GranBio Investimentos S.A.
Av. Brig. Faria Lima, 2277, 15º andar, Conjunto 1503, Jd. Paulistano,
São Paulo, SP, CEP 01452-000, São Paulo, SP
+55 11 2739-0500

1
65.75
32.375
Alagoas, Brasil

Planta Industrial

BioFlex Agroindustrial.
Faz. São João, s/n – Zona Rural
57.249-899 – São Miguel dos Campos – AL – Caixa postal 14

Estação Experimental

Biovertis Produção Agrícola Ltda.
Fazenda Andorinha, Rod. AL 220 s/n, KM 6,5,
São Miguel dos Campos, Zona Rural, AL, CEP 57180-000

Telefones

Sede

+55 11 2739.0500

 

11 de outubro de 2019

Google faz o maior investimento da história em energia renovável para data centers na Europa

Por GranBio

Recentemente o Google divulgou que está investindo 3 bilhões de Euros em novos data centers sustentáveis – metade deles na Europa. Segundo a gigante de tecnologia, é o maior investimento de uma Companhia em energia limpa na história. Na Europa, os novos data centers serão abastecidos com fontes de energia eólica e solar compradas da Finlândia, Suécia, Bélgica e Dinamarca. O Google é uma Empresa Carbono Neutro desde 2007 - e há anos manifesta interesse em ampliar o uso de energia limpa em seus negócios ao redor do mundo.

O anúncio do investimento em data centers sustentáveis foi feito pelo CEO Sundar Pichai no blog do Google. Nos anos de  2017 e 2018, o Google foi a primeira grande empresa a combinar o consumo anual de eletricidade com o uso de energia renovável, tornando-se o maior comprador de energia limpa do mundo.

Data Centers renováveis do Google usam energia eólica, solar e híbrida. Crédito: Divulgação

Em 2013, um data center do Google localizado na cidade portuária de Hamina, na Finlândia, passou a ser totalmente abastecido por energia eólica. Na época, a empresa fechou um contrato para comprar por dez anos toda a eletricidade produzida em um parque eólico de 72 Megawatts.

Este foi o primeiro investimento da empresa em um data center abastecido com energia renovável na Europa. A experiência com energia limpa na cidade finlandesa se tornou referência em eficiência energética para o Google, que pretende investir 600 milhões de Euros em Hamina para expandir a sua presença na cidade.

Apesar de metade da nova capacidade energética comprada pela Companhia se concentrar na Europa, o investimento do Google também inclui países como os EUA e Chile. Nos EUA, o Google comprará energia solar de fazendas na Carolina do Norte, Carolina do Sul e Texas, dobrando o seu consumo atual de energia solar. No Chile, a empresa adicionará 125 Megawatts de capacidade à rede que fornece energia renovável para seu data center no país.

O acordo feito no Chile marca também a primeira compra de energia híbrida feita pelo Google: o data center chileno passará um tempo maior operando com energia eólica e solar, reduzindo ainda mais a pegada de carbono no país sul-americano.

Motivadas pela economia e pelos valores de Sustentabilidade, grandes companhias tem divulgado o compromisso em combater as mudanças climáticas resultantes da emissão de carbono na atmosfera. A Amazon, Companhia norte-americana de comércio online,  divulgou recentemente o seu plano para reduzir a emissão de carbono, com o objetivo de se tornar uma empresa totalmente carbono neutro até 2040.

Entre as medidas anunciadas pela empresa está a meta de utilizar 80% de energia limpa em seus negócios até 2024 - e utilizar somente energia renovável em suas operações até 2030. A Amazon usa atualmente energia eólica comprada de parques na Irlanda, Suécia e nos EUA. O projeto da empresa de ampliar o uso de energia limpa inclui investimentos em placas de captação de energia solar para os seus negócios.

Fonte: Canaltech

 

→ Os temas publicados neste blog são de curadoria do presidente e CEO da GranBio, Bernardo Gradin.