Fale conosco

Nome *

Telefone

Empresa

E-mail *

Área *

Mensagem *

Repita o código de segurança ao lado *

captcha

Search
1
29.25
8
Califórnia, EUA

Escritório EUA

303 Twin Dolphin Drive, 6th floor, Redwood City, California. 94065.

1
74.75
30.75
São Paulo, Brasil

Centro de Pesquisas

Av. Pierre Simon de Laplace, 965, Techno Park, Campinas, SP, CEP 13069-320

Sede

Av. Brig. Faria Lima, 2277, 15º andar, Conjunto 1503, Jd. Paulistano, São Paulo, SP, CEP 01452-000

1
65.75
32.375
Alagoas, Brasil

Bioflex 1

Rua São Sebastião, 08, Bairro de Fátima, São Miguel dos Campos, AL, CEP 57240-000

Estação Experimental

Fazenda Andorinha, Rod. AL 220 s/n, KM 6,5, São Miguel dos Campos, Zona Rural, AL, CEP 57180-000

Prédio Agrícola

Av. João Floriano Bonfim, 300, Loteamento Rui Palmeira, São Miguel dos Campos, AL, CEP 57240-000

Telefones

Sede

+55 11 2739.0500

Estação Experimental

+55 82 3211.0152

Prédio Agrícola

+55 82 3211.0130

Centro de Pesquisas

+55 19 3322.8100

Bioflex I

+55 82  3211.0058

24 de agosto de 2018

Pesquisadores identificam gene-chave para acelerar o crescimento da cana

Por GranBio

melhoramento genético cana-de-açúcar

Um gene chamado ScGAI pode ser a solução para melhoramento da produção da cana-energia

Em estudo coordenado pelo cientista brasileiro Marcelo Menossi, pesquisadores descobriram que um gene chamado ScGAI pode ser a solução para superar a limitação de rendimento da cana. O projeto vinculado ao Programa FAPESP de Pesquisa em Bioenergia (BIOEN) constatou que o ScGAI é um regulador molecular chave do crescimento e desenvolvimento da cana, que pode ser fundamental o melhoramento da produção da cana-energia.

Embora o melhoramento genético venha ajudando no no manejo de pragas e doenças que acometem produção da cana-de-açúcar, a cultura agrícola ainda esbarra na limitação do desenvolvimento do colmo. Especialistas apontam que essa questão interfere na restrição para o teor de sacarose e de biomassa possíveis de serem obtidos dela para produção de açúcar e de etanol celulósico.

“Quebrar essa limitação de desenvolvimento da cana-de-açúcar de forma substancial pelo melhoramento convencional da cultura [por cruzamento de variedades] tem sido difícil”, afirma Menossi, professor do Departamento de Genética, Evolução e Bioagentes do Instituto de Biologia da Universidade Estadual de Campinas (IB-Unicamp), à Agência FAPESP.

Nesta pesquisa, os cientistas notaram que o gene ScGAI atua na regulação de alguns hormônios de crescimento de plantas comumente usados em lavouras de cana, como o etileno e as giberelinas. Ao manipular a atividade do ScGAI em linhagens transgênicas de cana desenvolvidas na Austrália, os pesquisadores conseguiram aumentar o caule de maneira significativa e provocar mudanças na alocação de carbono para moléculas estruturais e de armazenamento do cultivar. A descoberta foi revelada em um artigo publicado no Journal of Experimental Botany.

De acordo com Menossi, a cana que passou por alterações na expressão do gene ScGAI se desenvolveu muito mais rapidamente. “Isso abre a perspectiva de desenvolver uma variedade de cana-energia que amadureça mais rápido e aumente a produção de biomassa por unidade de tempo”, disse.

Os pesquisadores iniciaram o processo de patenteamento do método de manipulação do gene ScGAI para aumentar a quantidade de proteína DELLA na cana-de-açúcar e possibilitar que a planta se desenvolva mais rápido. A tecnologia já despertou o interesse de duas empresas.

Fonte: Grupo Cultivar

→ Os temas publicados neste blog são de curadoria do presidente e CEO da GranBio, Bernardo Gradin.