Fale conosco

Nome *

Telefone

Empresa

E-mail *

Área *

Mensagem *

Search
1
33.5
18.75
Atlanta, EUA

Biorefinarias:

Unidade Thomaston
300 McIntosh Parkway
Thomaston, GA 30286, USA

Unidade Alpena
Alpena, MI

Sede (Corporativo):

GranAPI LLC
Atlanta, GA

1
74.75
30.75
São Paulo, Brasil

Sede

GranBio Investimentos S.A.
Av. Brig. Faria Lima, 2277
Conjunto 1503, 15º andar.
Jd. Paulistano. CEP 01452-000
São Paulo, SP
+55 11 2739-0500

1
65.75
32.375
Alagoas, Brasil

Planta Industrial

BioFlex Agroindustrial.
Fazenda São João, Zona Rural
São Miguel dos Campos, AL

Estação Experimental

Biovertis Produção Agrícola Ltda.
Fazenda Andorinha, Zona Rural
São Miguel dos Campos, AL

Telefones

Sede

+55 11 2739.0500

 

24 de junho de 2019

Talher de plástico de batata substitui os usados por fast-foods

Por GranBio

talher plástico feito de batata

“Ao vencedor as batatas”, escreveu Machado de Assis em seu Memórias Póstumas de Brás Cubas. Pois o designer sueco Pontus Törnqvist inverteu a ordem desse processo. Foi o tubérculo, na verdade, que o levou a ser premiado. E nada mais merecido. Afinal, ele criou um talher de plástico de batata, que se decompõe em menos de dois meses.

O mais inusitado dessa história é que esse ingrediente da receita surgiu meio que por acaso.

Törnqvist conta que seu objetivo inicial era justamente combater a poluição ambiental causada pelos talheres de plástico utilizados em fastfoods. Enquanto, em média, seu período de uso é de 20 minutos, o de sua duração na natureza chega a 450 anos.

Assim, em seu projeto de conclusão de curso, o designer passou a fazer experimentos com algas marinhas. Nos testes com elas, usava uma pasta feita de amido de batata e água.
“Certa vez derramei acidentalmente um pouco desse fluido e percebi que ele havia secado formando um filme plástico”, conta.

Foi a deixa para abandonar as algas e focar na fécula de batata. E havia uma razão para isso: concentrar-se na produção local.

O designer sueco criou o talher de plástico de batata para ser usado sobretudo em fast-foods. 
Crédito: Reprodução/Material Design Lab

Fazia todo o sentido: a produção de batata é abundante na Suécia. E ela pode ser substituída por outros tipos de amido, como o de milho, no processo, de acordo com as características do cultivo agrícola do país em que o talher for fabricado.

Para aprimorar ainda mais seu invento, Törnqvist passou um tempo nas dependências do Material Design Lab, em Copenhague, Dinamarca. Trata-se de um laboratório propício para o estudo de novos materiais.

“Lá, adicionei um ingrediente natural para tornar o plástico de batata ainda mais flexível”, afirma. “Assim, posso fazer com ele outros produtos, como bolsas e sacolas.”
Com esse desenvolvimento e o seu talher de plástico de batata, Törnqvist ganhou o James Dyson Award, prêmio voltado para inovações de design do mundo todo.

Crédito da imagem: Reprodução/James Dyson Award

→ Os temas publicados neste blog são de curadoria de Bernardo Gradin, Sócio-fundador da GranBio.