Fale conosco

Nome *

Telefone

Empresa

E-mail *

Área *

Mensagem *

Repita o código de segurança ao lado *

captcha

Search
1
29.25
8
Califórnia, EUA

Escritório EUA

303 Twin Dolphin Drive, 6th floor, Redwood City, California. 94065.

1
74.75
30.75
São Paulo, Brasil

Centro de Pesquisas

Av. Pierre Simon de Laplace, 965, Techno Park, Campinas, SP, CEP 13069-320

Sede

Av. Brig. Faria Lima, 2277, 15º andar, Conjunto 1503, Jd. Paulistano, São Paulo, SP, CEP 01452-000

1
65.75
32.375
Alagoas, Brasil

Bioflex 1

Rua São Sebastião, 08, Bairro de Fátima, São Miguel dos Campos, AL, CEP 57240-000

Estação Experimental

Fazenda Andorinha, Rod. AL 220 s/n, KM 6,5, São Miguel dos Campos, Zona Rural, AL, CEP 57180-000

Prédio Agrícola

Av. João Floriano Bonfim, 300, Loteamento Rui Palmeira, São Miguel dos Campos, AL, CEP 57240-000

Telefones

Sede

+55 11 2739.0500

Estação Experimental

+55 82 3211.0152

Prédio Agrícola

+55 82 3211.0130

Centro de Pesquisas

+55 19 3322.8100

Bioflex I

+55 82  3211.0058

6 de julho de 2018

Produção de biodiesel no Brasil atinge 452 milhões de litros, maior volume dos últimos 10 anos

Por GranBio

Brasil torna-se o segundo maior produtor de biodiesel

Segundo o Ministério de Minas e Energia, região Centro-Oeste respondeu por 42% de todo o biocombustível produzido

A produção de biodiesel atingiu a marca de 452 milhões de litros produzidos em março, considerado o maior volume em um único mês nos últimos dez anos no país, segundo dados do Ministério de Minas e Energia (MME). No primeiro trimestre do ano, o Brasil acumulou 1.13 bilhão de litros de biodiesel, acréscimo de 32% em relação ao mesmo período de 2016 (852 milhões de litros). Em 2017, a produção de biodiesel foi de 4,29 bilhões de litros produzidos. Segundo o Ministério de Minas e Energia, a matéria prima mais utilizada para gerar biodiesel foi a soja com 67,8%, seguida pela gordura bovina com 15,6% e também gordura de porco, com apenas 2,4%.

O resultado reflete em grande parte na elevação da mistura de biodiesel ao óleo diesel vendidos aos consumidores finais para 10%, conhecido como B10, informou o Ministério de Minas e Energia. O Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) aprovou no final de 2017 a antecipação do aumento da mistura do biodiesel ao diesel de 8%, o chamado B8, para 10%, o B10, implementado em março de 2018. A elevação estava prevista apenas para março de 2019, mas foi antecipada após demanda do setor e avaliação técnica.

A produção de biodiesel no país garantiu ao Brasil a posição como o segundo maior produtor do produto no mercado mundial, ficando atrás apenas para os Estados Unidos. Segundo o MME, a região Centro-Oeste é responsável pelo maior volume de produção do Brasil no momento, com cerca de 42%, seguida pela região Sul, responsável por 40%.

Outro biocombustível que também vem registrando aumento de produção no Brasil é o etanol, cuja produção de etanol hidratado cresceu 49% na comparação com a safra anterior. O Ministério informou que em 2017 foram consumidos cerca de 25,2 bilhões de litros de etanol.

O Brasil é o terceiro maior gerador de energia renovável do mundo. A constatação foi feita pela Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês). De acordo com a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), o país conta com uma matriz elétrica de energia renovável predominante, “com destaque para a geração hidráulica que responde por 68,1% da oferta interna” e é uma das grandes forças brasileiras quando o assunto é energia renovável.

A GranBio, empresa de biotecnologia industrial 100% brasileira, acredita que o Brasil tenha potencial de aumentar em 50% a produção de etanol apenas com uso de palha e bagaço, sem necessidade de ampliação de canaviais.

Em 2014, a GranBio iniciou a produção na primeira fábrica de etanol de segunda geração (2G) em escala comercial do Hemisfério Sul. A Bioflex 1, unidade construída em São Miguel dos Campos, Alagoas, tem capacidade inicial de produção de 82 milhões de litros de etanol por ano. O etanol 2G da GranBio é o combustível produzido em escala comercial mais limpo do mundo em intensidade de carbono - 7,49 gCO2/MJ, índice comprovado pelo Air Resources Board (ARB), da Califórnia.

Fonte: BiomassaBR
→ Os temas publicados neste blog são de curadoria do presidente e CEO da GranBio, Bernardo Gradin.