Fale conosco

Nome *

Telefone

Empresa

E-mail *

Área *

Mensagem *

Repita o código de segurança ao lado *

captcha

Search
1
29.25
8
Califórnia, EUA

Escritório EUA

303 Twin Dolphin Drive, 6th floor, Redwood City, California. 94065.

1
74.75
30.75
São Paulo, Brasil

Centro de Pesquisas

Av. Pierre Simon de Laplace, 965, Techno Park, Campinas, SP, CEP 13069-320

Sede

Av. Brig. Faria Lima, 2277, 15º andar, Conjunto 1503, Jd. Paulistano, São Paulo, SP, CEP 01452-000

1
65.75
32.375
Alagoas, Brasil

Bioflex 1

Rua São Sebastião, 08, Bairro de Fátima, São Miguel dos Campos, AL, CEP 57240-000

Estação Experimental

Fazenda Andorinha, Rod. AL 220 s/n, KM 6,5, São Miguel dos Campos, Zona Rural, AL, CEP 57180-000

Prédio Agrícola

Av. João Floriano Bonfim, 300, Loteamento Rui Palmeira, São Miguel dos Campos, AL, CEP 57240-000

Telefones

Sede

+55 11 2739.0500

Estação Experimental

+55 82 3211.0152

Prédio Agrícola

+55 82 3211.0130

Centro de Pesquisas

+55 19 3322.8100

Bioflex I

+55 82  3211.0058

27 de dezembro de 2018

Tecnologia digital auxilia tomada de decisões no campo

Por GranBio

A agricultura exerce uma grande influência na balança comercial brasileira, graças aos esforços de produtores rurais cada vez mais comprometidos com o crescimento da lavoura, aliado a princípios sustentáveis. Ao mesmo tempo, a comunicação e a tecnologia digital fazem parte do cotidiano e permeiam as relações de negócios no mundo todo, de modo que torna fácil entender que a transformação digital está também cada vez mais presente no campo. Neste caso, vem tornando o agronegócio mais assertivo e capaz de atender à crescente demanda mundial por alimentos nutritivos e abundantes.

A transformação digital chegou ao campo com o uso de smartphones - segundo levantamento da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócios (ABMRA), 61% dos produtores rurais utilizam o dispositivo. Mas também já emprega drones para monitoramento das lavouras e aplicação de defensivos agrícolas, assim como máquinas e sensores que monitoram as condições do solo para distribuir água e nutrientes de forma precisa para cada tipo de cultura. Tudo isso significa uso racional de recursos e ampliação da produtividade, tendo como resultado um agronegócio que caminha para o futuro de forma sustentável.

O uso da tecnologia digital no campo também serve para retomar a antiga noção de comunidade, onde agricultores podiam trocar experiências e informações sobre suas melhores práticas. Sendo que o ponto de encontro não precisa mais ser o empório do vilarejo mais próximo, mas as redes sociais, aplicativos de mensagens e outras plataformas online para ficar por dentro das novidades do setor.

Até mesmo determinações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e do Ministério da Agricultura ajudam a impulsionar a presença digital nas fazendas e conectar o agricultor com o consumidor da cidade. O avanço da rastreabilidade na produção de frutas e hortaliças, por exemplo, torna mais evidente as etapas produtivas e a conexão entre todas elas, do mesmo modo como na natureza os ciclos estão interligados.

Diferentemente do que o senso comum ainda esteja a imaginar, campo e tecnologia não são como pólos contrários. Processamento de dados, inteligência artificial e robótica já fazem parte da cadeia da produção rural e ainda têm muito a contribuir com o seu futuro.

Fonte: Ideias para o futuro
→ Os temas publicados neste blog são de curadoria do presidente e CEO da GranBio, Bernardo Gradin.