Fale conosco

Nome *

Telefone

Empresa

E-mail *

Área *

Mensagem *

Search
1
33.5
18.75
Atlanta, EUA

Biorefinarias:

Unidade Thomaston
300 McIntosh Parkway
Thomaston, GA 30286, USA

Unidade Alpena
Alpena, MI

Sede (Corporativo):

GranAPI LLC
Atlanta, GA

1
74.75
30.75
São Paulo, Brasil

Sede

GranBio Investimentos S.A.
Av. Brig. Faria Lima, 2277
Conjunto 1503, 15º andar.
Jd. Paulistano. CEP 01452-000
São Paulo, SP
+55 11 2739-0500

1
65.75
32.375
Alagoas, Brasil

Planta Industrial

BioFlex Agroindustrial.
Fazenda São João, Zona Rural
São Miguel dos Campos, AL

Estação Experimental

Biovertis Produção Agrícola Ltda.
Fazenda Andorinha, Zona Rural
São Miguel dos Campos, AL

Telefones

Sede

+55 11 2739.0500

 

Perguntas e Respostas

Aqui você pode esclarecer algumas dúvidas sobre a história da GranBio, informações sobre a fábrica BioFlex®, GranBio Tech®, entre outros assuntos que envolvam nosso trabalho no setor de biotecnologia industrial, bioenergia, bioquímicos e materiais renováveis.

Sobre a GranBio

Quando a empresa foi criada?

A GranBio foi criada em junho de 2011.

Quem são os acionistas da GranBio?

A GranBio é controlada pela família Gradin, com 85% do capital social e tem a BNDESPar, braço de investimentos do BNDES, como acionista minoritário, com os 15% restantes.

Onde ficam as unidades da GranBio?

A sede da GranBio fica em São Paulo e a empresa tem unidades operaconais em Alagoas (Estação Experimental, centro de distribuição de matéria-prima e biorefinaria de etanol 2G – Bioflex 1), em Thomaston e Alpena nos Estados Unidos.

Etanol 2G

O que é etanol de segunda geração? Qual a diferença para o de primeira geração?

O etanol de primeira e o de segunda geração têm a mesma composição físico-química. A diferença está na matéria-prima e no processo de produção. O etanol tradicional (1G) é produzido a partir do caldo ou melaço da cana-de-açúcar. Já o etanol 2G é feito a partir de açúcares extraídos da celulose da planta, presentes na palha e no bagaço de cana-de-açúcar, palha de milho, madeira, sorgo, entre outros.

Como é feita a produção do etanol de segunda geração?

Existem três etapas cruciais para chegar ao produto final. No pré-tratamento, a biomassa é preparada para que a celulose e a hemicelulose sejam utilizadas como matéria-prima. A celulose é o polímero orgânico mais abundante do planeta. Na etapa seguinte, ocorre uma reação chamada hidrólise - a celulose e a hemicelulose são quebradas em moléculas de açúcares simples com 5 e 6 carbonos na molécula pela ação de enzimas. Por fim, na fermentação, esses açúcares são transformados em etanol com o uso de mircroorganismos. Essa última etapa é muito semelhante à produção do Etanol 1G.

Qual matéria-prima é utilizada pela GranBio?

Palha ou bagaço de cana-de-açúcar convencional ou biomassa da Cana-Vertix®, variedade desenvolvida pela GranBio a partir do cruzamento genético de tipos ancestrais e híbridos comerciais de cana-de-açúcar.

Por que a GranBio escolheu produzir seu etanol de segunda geração usando palha e bagaço de cana-de-açúcar e não o milho, por exemplo?

Porque essa é uma matéria-prima abundante no Brasil. E, consequentemente, mais barata que outras fontes de biomassa disponíveis. Além disso, a cana produz mais resíduos do que o milho, o que a torna ainda mais vantajosa na produção de etanol celulósico.

O Brasil produz anualmente cerca de 80 milhões de toneladas de palha de cana, equivalente a 210 milhões de barris de petróleo ou 70 dias de produção da Petrobras. Uma fonte abundante para a produção de energia renovável, diminuindo com isso, a emissão de Gás Carbônico para a atmosfera, causador do efeito estufa.

 Cana-energia

O que é cana-energia? Quais as características, as semelhanças e as diferenças em relação à cana-de-açúcar?

A cana-energia é uma variedade desenvolvida a partir do cruzamento genético de tipos ancestrais e híbridos comerciais de cana-de-açúcar. O resultado é uma cana mais robusta, com maior teor de fibra e potencial produtivo que, por ser extremamente rústica, pode ser plantada em áreas degradadas de pasto, sem competir com a produção de alimentos. É uma forma inteligente de capturar a energia do sol através da fotossíntese com menor impacto ambiental e contribuindo para a diminuição das mudanças climáticas do planeta.

A cana-energia pode ser produzida e processada da mesma forma que a convencional. Na GranBio, a cana-energia foi batizada de Cana Vertix®.

Como é feito o desenvolvimento da cana-energia?

O processo para se chegar à cana-energia acontece por meio de melhoramento genético clássico, de forma muito semelhante ao melhoramento da cana-de-açúcar. Pega-se duas variedades de plantas e faz-se o cruzamento entre elas. As sementes que surgem desse cruzamento são plantadas no campo. Depois de brotarem, as plantas mais robustas são selecionadas.

O que é e para que serve a Estação Experimental da GranBio?

A Estação Experimental tem foco no desenvolvimento da Cana Vertix® - e de outras fontes de biomassa para futuras unidades industriais da empresa. A unidade está localizada no município de Barra de São Miguel, em Alagoas.