Fale conosco

Nome *

Telefone

Empresa

E-mail *

Área *

Mensagem *

Repita o código de segurança ao lado *

captcha

Search
1
29.25
8
Califórnia, EUA

Escritório EUA

303 Twin Dolphin Drive, 6th floor, Redwood City, California. 94065.

1
74.75
30.75
São Paulo, Brasil

Centro de Pesquisas

Av. Pierre Simon de Laplace, 965, Techno Park, Campinas, SP, CEP 13069-320

Sede

Av. Brig. Faria Lima, 2277, 15º andar, Conjunto 1503, Jd. Paulistano, São Paulo, SP, CEP 01452-000

1
65.75
32.375
Alagoas, Brasil

Bioflex 1

Rua São Sebastião, 08, Bairro de Fátima, São Miguel dos Campos, AL, CEP 57240-000

Estação Experimental

Fazenda Andorinha, Rod. AL 220 s/n, KM 6,5, São Miguel dos Campos, Zona Rural, AL, CEP 57180-000

Prédio Agrícola

Av. João Floriano Bonfim, 300, Loteamento Rui Palmeira, São Miguel dos Campos, AL, CEP 57240-000

Telefones

Sede

+55 11 2739.0500

Estação Experimental

+55 82 3211.0152

Prédio Agrícola

+55 82 3211.0130

Centro de Pesquisas

+55 19 3322.8100

Bioflex I

+55 82  3211.0058

Press Releases

21 de Janeiro de 2013 - PRESS RELEASE

BNDESPAR investe R$ 600 milhões na GraalBio, produtora de etanol 2G

Braço de participações do BNDES será sócio com 15% das ações da GraalBio, empresa pioneira da produção do biocombustível de segunda geração no Hemisfério Sul

São Paulo, 21 de janeiro de 2013 – A BNDESPAR, braço de participações do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), realizará um aporte de R$ 600 milhões na empresa de biotecnologia GraalBio. Os recursos serão usados para o desenvolvimento de tecnologias e projetos para produção de etanol celulósico, o etanol de segunda geração (2G), muito utilizado como biocombustível, e de produção de bioquímicos.

Pelo acordo, a BNDESPAR deverá deter 15% das ações ordinárias da GraalBio, passando a ter um assento no Conselho de Administração e compartilhando decisões estratégicas da empresa. Os aportes serão realizados conforme o cronograma a ser executado no plano de negócios e em conjunto com a família Gradin, que concluirá um aporte inicial de R$ 300 milhões para a primeira fase de implementação do Plano de Investimentos da empresa, que prevê um montante da ordem de R$ 4 bilhões para os próximos 7 anos.

"O aporte dos acionistas viabilizará a aceleração do plano de negócios da GraalBio e seu objetivo de se tornar um dos líderes globais na integração de tecnologias e produção de etanol de segunda geração", afirma o presidente da GraalBio, Bernardo Gradin.

Pioneirismo

A primeira fábrica de produção de etanol 2G do Hemisfério Sul começa a operar no início de 2014. A unidade, que está sendo erguida em São Miguel dos Campos, Alagoas, terá capacidade de produção nominal de 82 milhões de litros por ano. Os investimentos totalizam R$ 350 milhões.

O projeto da GraalBio foi enquadrado no PAISS (Programa de Apoio à Inovação dos Setores Sucroenergético e Sucroquímico) do BNDES. Assim, a empresa deverá receber um financiamento de R$ 280 milhões, que serão aplicados na construção da primeira linha industrial.

Inicialmente, a unidade vai utilizar bagaço e palha de cana como matérias-primas para a fabricação do combustível. Esses materiais oferecem potencial para ampliar a produção nacional do biocombustível em até 45%, sem necessidade de investimentos em novas plantações e sem competição com a produção de alimentos. Além do ganho econômico, o etanol 2G traz também vantagens para o meio ambiente.

Para viabilizar o projeto brasileiro, a GraalBio reuniu empresas detentoras das mais avançadas tecnologias no mundo para produção do etanol 2G. Na construção da primeira unidade de etanol 2G do país, a GraalBio fechou parceria com a BetaRenewables e à Chemtex, afiliadas do grupo italiano Mossi&Ghisolfi, que desenvolveu uma tecnologia de pré-tratamento e conversão de biomassa – batizada como PROESA – capaz de converter vários tipos de matériaprima em biocombustíveis.

Além da Mossi&Ghisolfi, a GraalBio tem também alianças com a dinamarquesa Novozymes, líder mundial do segmento de enzimas, e a holandesa DSM, que será a responsável pelo fornecimento das leveduras geneticamente modificadas que fermentarão o etanol de segunda geração. Com 450 milhões de hectares de terras agricultáveis subutilizadas, quantidade muito superior à de qualquer outro país, o Brasil oferece as melhores condições para desenvolvimento e produção de biomassa, o que pode colocá-lo na posição de protagonista de uma revolução biotecnológica em curso no mundo.

Pesquisa

A inovação não está apenas em juntar esses diferentes fornecedores para construir uma fábrica em escala industrial. A GraalBio inaugura, no Techno Park, em Campinas (SP) seu primeiro laboratório de pesquisas de biologia sintética, para o desenvolvimento de tecnologias de modificação genética das leveduras brasileiras, consideradas as mais robustas e eficientes do mundo. O objetivo é produzir uma linhagem com capacidade de processar a matéria-prima com rapidez e alto rendimento.

Em meados deste ano, a GraalBio prevê entregar uma planta piloto em Campinas com o objetivo de aprimorar a tecnologia de etanol celulósico e desenvolver rotas bioquímicas. A construção da planta piloto dará à GraalBio um ativo papel como codesenvolvedora de tecnologias celulósicas. Mais informações em www.graalbio.com

Sobre a GraalBio

A GraalBio Investimentos é uma empresa 100% brasileira, fundada em junho de 2011, com a visão de se destacar como pioneira industrial em biocombustíveis e bioquímicos. Como empresa de biotecnologia, a GraalBio é focada no desenvolvimento de tecnologias proprietárias e alianças estratégica para serem escaladas industrialmente o Brasil.

A planta de etanol 2G de Alagoas, uma das primeiras a ter a construção anunciada no mundo, deve entrar em operação no início de 2014 com capacidade de produção nominal de 82 milhões de litros por ano. A GraalBio está investindo R$ 350 milhões na construção da unidade.

Informações para a imprensa:

Agência Ideal

www.agenciaideal.com.br

Fernando Antunes – fernando.antunes@agenciaideal.com.br + 55 11 4873 7618 / + 55 11 99601 6252

André Vieira – andre.veira@agenciaideal.com.br + 55 11 4873 7620