Fale conosco

Nome *

Telefone

Empresa

E-mail *

Área *

Mensagem *

Repita o código de segurança ao lado *

captcha

Search
1
29.25
8
Califórnia, EUA

Escritório EUA

303 Twin Dolphin Drive, 6th floor, Redwood City, California. 94065.

1
74.75
30.75
São Paulo, Brasil

Centro de Pesquisas

Av. Pierre Simon de Laplace, 965, Techno Park, Campinas, SP, CEP 13069-320

Sede

Av. Brig. Faria Lima, 2277, 15º andar, Conjunto 1503, Jd. Paulistano, São Paulo, SP, CEP 01452-000

1
65.75
32.375
Alagoas, Brasil

Bioflex 1

Rua São Sebastião, 08, Bairro de Fátima, São Miguel dos Campos, AL, CEP 57240-000

Estação Experimental

Fazenda Andorinha, Rod. AL 220 s/n, KM 6,5, São Miguel dos Campos, Zona Rural, AL, CEP 57180-000

Prédio Agrícola

Av. João Floriano Bonfim, 300, Loteamento Rui Palmeira, São Miguel dos Campos, AL, CEP 57240-000

Telefones

Sede

+55 11 2739.0500

Estação Experimental

+55 82 3211.0152

Prédio Agrícola

+55 82 3211.0130

Centro de Pesquisas

+55 19 3322.8100

Bioflex I

+55 82  3211.0058

Press Releases

16 de Abril de 2013 - PRESS RELEASE

GranBio compra 25% da empresa norte-americana de tecnologia limpa American Process Inc. (API)

Aquisição de participação acionária estratégica marca a entrada da GranBio no desenvolvimento de bioquímicos com o tratamento de biomassa e acelera plano de negócios da API

São Paulo (Brasil) e Atlanta (Geórgia), 16 de abril de 2013 – A GranBio concluiu a aquisição de 25% de participação acionária na empresa norte-americana de tecnologia limpa American Process Inc. (API). Com o acordo, a GranBio terá acesso a uma plataforma proprietária de pré-tratamento de biomassa que torna possível, com custos reduzidos, desenvolver açúcar de celulose como matéria-prima para a conversão de uma grande variedade de produtos bioquímicos e biocombustíveis.

“O investimento na API marca a entrada da GranBio no mercado norte-americano de energia limpa. Esse é um movimento estratégico de nossa parte, visto que a solução de pré-tratamento desenvolvido pela API permite a produção de açúcar de celulose de baixo custo, que também atende as rigorosas especificações exigidas para a fabricação de bioquímicos. Com essa plataforma, seremos capazes de expandir as atividades da GranBio para outros produtos, além do etanol celulósico”, disse o presidente da GranBio, Bernardo Gradin.

"A associação com a GranBio, uma líder em produção de biotecnologia, fortalece a API e torna possível o crescimento do nosso plano de negócios de forma mais agressiva. Acreditamos que a produção de açúcar de baixo custo é chave para desvendar o potencial da biomassa como matéria-prima versátil para combustíveis, químicos e outros produtos. Temos parcerias com empresas para completar a nossa cadeia de fornecimento na conversão de açúcar em produtos de alto valor agregado. Estamos muito animados e otimistas com as perspectivas de construir a primeira usina em escala comercial com a tecnologia da API no Brasil, seguida por outra nos Estados Unidos”, disse a diretora-presidente da API, Theodora Retsina.

Sobre a GranBio

A GranBio é uma empresa 100% brasileira, fundada em junho de 2011, com a visão de se destacar como pioneira industrial em biocombustíveis e bioquímicos. Como empresa de biotecnologia, a GranBio é focada no desenvolvimento de tecnologias proprietárias e alianças estratégica para serem escaladas industrialmente no Brasil. Em janeiro, a BNDESPAR fez um aporte de R$ 600 milhões na companhia, detendo 15% das ações da GranBio.

A planta de etanol 2G de Alagoas, uma das primeiras a ter a construção anunciada no mundo, deve entrar em operação no início de 2014. Com capacidade de produção nominal de 82 milhões de litros por ano. A GranBio, que aparece na lista das 10 empresas mais inovadoras na América do Sul pela revista americana FastCompany, está investindo R$ 350 milhões na construção da unidade.

Sobre a API - Sugar is the new crude®

Fundada em 1995, pela engenheira química grega Theodora Retsina, como uma empresa de consultoria de engenharia para a indústria de celulose e papel, a API tem se especializado, nos últimos anos, no desenvolvimento de tecnologias comerciais rentáveis para a produção de açúcares e etanol a partir de biomassa. As soluções desenvolvidas também provaram ser apropriados para produtos bioquímicos, devido à pureza dos açúcares produzidos. A empresa tem um conjunto robusto de propriedade intelectual em suas duas tecnologias: AVAP® e GreenPower+®.

A AVAP é capaz de produzir açúcares de celulose em larga escala com baixo custo, a partir de qualquer biomassa celulósica. O sistema converte a celulose e a hemicelulose da biomassa por meio de um processo que combina a utilização de produtos químicos e enzimas. A API possui uma planta de demonstração integrada em Thomaston, Geórgia, para testar uma variedade de matérias-primas e formar parcerias com empresas químicas e conversoras de combustíveis ara desenvolvimento de açúcares. A planta já está sendo operada pela AVAPCO, filial da API.

A tecnologia GreenPower+®, também conhecida como GP+, pode ser utilizada em unidades de produção de etanol de primeira geração já existentes e tem a vantagem de não necessitar de produção em larga escala e enzimas. A tecnologia de baixo custo produz açúcares de celulose, extraindo somente as hemiceluloses a partir da biomassa. O restante do material pode ser utilizado para as outras demandas da unidade produtiva, como geração de energia eléctrica ou peletização. A GP+ está sendo usada em escala comercial na Biorefinaria da API em Alpena, Michigan.

A API tem sede em Atlanta e escritórios em Atenas, Grécia e Romênia.

 

Informações para a imprensa:

Agência Ideal

www.agenciaideal.com.br

Fernando Antunes – fernando.antunes@agenciaideal.com.br

+ 55 11 4873 7618 / + 55 11 99601 6252

André Vieira – andre.vieira@agenciaideal.com.br

+ 55 11 4873 7620

Dr. Kim Nelson – knelson@americanprocess.com

+1 404-872-8807